Pesquisa de ponto de venda: 5 dicas na hora de elaborar e aplicar

Pesquisa de Ponto de Venda

Saber exatamente qual é a experiência e as percepções que os clientes possuem ao entrarem em um ponto de vendas de sua empresa é essencial para a definição das estratégias de marketing, realização de melhorias no layout da loja, qualificação do atendimento e, consequentes aumentos no ticket médio de compras, retenção e fidelização de clientes. Mas, para descobrir qual é essa percepção e experiência, a pesquisa de ponto de venda sobre a satisfação do cliente é fundamental.

Neste post vamos refletir sobre 5 dicas essenciais na hora de elaborar e aplicar a pesquisa de satisfação no ponto de venda, pensando no principal obstáculo que ela enfrenta: o interesse do cliente em responder à pesquisa.

1- Pense em um questionário simples, mas estratégico para a pesquisa

Você gostaria de responder um questionário com 50 perguntas? Provavelmente nem você, nem seus clientes gostariam. Por isso, seja estratégico na hora de definir cada questão e o número total delas. O ideal em pesquisa de ponto de venda é avaliar no máximo duas áreas ao mesmo tempo, principalmente aquelas que você já sabe que precisam ser mais qualificadas e não sabe muito bem como fazer, ou aquelas que já tenham sido melhoradas para saber se as alterações surtiram o efeito esperado na percepção dos clientes.

Cada tipo de empresa ou negócio terá um número máximo aceitável de questões por pesquisa, mas é bom pensar que quanto mais perguntas você fizer, menos questionários completamente respondidos você terá.

2- Determine o meio de coleta das respostas

Em um mundo cada vez mais dominado pela tecnologia, utilizar urnas, papel e caneta para a coleta das informações pode causar uma má impressão sobre seu estabelecimento, além de resultarem em maior trabalho para reunir os dados, tabulá-los de forma ordenada e extrair as informações necessárias. No fundo, o uso de papel para pesquisas de ponto de venda resulta em maior trabalho e mais gastos de recursos e tempo.

Por isso, escolha um sistema digital que já realize as três atividades (coleta, tabulação e análise gráfica de dados) ao mesmo tempo, usando tablets ou smartphones para isso, por exemplo.

3- Defina o momento ideal para pedir as respostas do cliente

Outro aspecto importante é pensar no melhor momento para pedir que o cliente responda à pesquisa. Em pontos de vendas com menor circulação de clientes, o momento do pagamento pode ser uma excelente opção; em restaurantes, antes de pagar a conta pode ser o momento mais adequado; já em lojas com grande afluxo de pessoas, colocar totens pode ser uma boa opção.

O ideal é pensar em um momento onde a pessoa já tenha realizado seu principal objetivo em seu ponto de venda (comprar, comer, experimentar, entre outras opções), mas que ainda não estejam saindo da loja.

4- Defina um bônus tangível

Um cupom de desconto em reais, uma porcentagem numa compra futura, um bônus do tipo compre e ganhe, ou até um do tipo retire seu brinde… Dar algo em troca do tempo que o cliente está dedicando em responder sua pesquisa de satisfação é o melhor incentivo para conseguir o maior número de resposta.

Para que isso funcione adequadamente, deixe claro qual será o bônus e que ele só será liberado para quem responder a pesquisa até o final.

5- Treine a equipe que coletará as respostas e estabeleça metas

Provavelmente, a pessoa que convidará os clientes a participar da pesquisa e apoiará na coleta das respostas desempenha outra função no ponto de venda (garçom, caixa, atendente, vendedor, etc). Por isso, é importante treinar sobre a abordagem que deverá ser feita, sobre o que eles poderão ou não dizer e sobre os benefícios que os clientes terão ao responder as questões.

Por fim, é importante definir uma quantidade mínima de respondentes como meta da pessoa e da equipe responsável pela pesquisa.

Você já utiliza a pesquisa de ponto de venda para medir a satisfação de seus clientes? Acredita que ela pode melhorar a retenção de clientes em sua empresa? Compartilhe sua experiência conosco deixando um comentário neste post.

O que é streaming e como isso pode ser relevante para minha empresa?

O que e Streaming

O uso da tecnologia streaming tem crescido exponencialmente ao longo dos últimos anos, tanto para fins de entretenimento quanto como um veículo para que as organizações melhorem sua transmissão de dados, áudio e vídeo on-line, apoiando assim seus esforços de comunicação interna e externa, bem como para treinamentos e capacitações da equipe. Você sabe exatamente O que é streaming?

Neste artigo, você entenderá do que se trata a tecnologia streaming e como ela pode ser usada na sua empresa. Nos tópicos a seguir, conversaremos sobre as possibilidades de aplicações e também sobre algumas empresas que já utilizam esta tecnologia com sucesso. Ao final, apresentaremos algumas sugestões de implementação. Acompanhe!

O que é streaming?

Podemos traduzir o termo Streaming literalmente como “fluxo contínuo”. Ele se refere a uma tecnologia que permite a transmissão e o acompanhamento ao vivo de vídeo ou áudio na internet sem a necessidade da realização de downloads dos conteúdos. Trata-se, portanto, de uma transmissão instantânea, em direto.

Basicamente, para fazer um streaming é necessário uma boa conexão com a web e um servidor de streaming de qualidade. Logicamente, as pessoas envolvidas na apresentação, reunião, evento etc. devem estar equipadas com computadores que contenham câmeras e microfones.

Apesar de ter ganhado força nos últimos anos, esta tecnologia já existe desde o início dos anos 1990. Como a internet evoluiu e os usuários ao redor do mundo, a partir dos anos 2000, adquiriram mais capacidade de banda, o streaming vem ganhando cada vez mais força e sendo utilizado também no meio corporativo, inclusive possibilitando o surgimento de muitos negócios de mídia.

De que forma é possível utilizar a tecnologia streaming nas empresas?

As empresas podem fazer uso da tecnologia streaming para melhorar sua comunicação interna, realizando videoconferências entre os departamentos, filiais e parceiros de negócio. Também podem realizar a transmissão de eventos próprios ou de terceiros para suas equipes ou para seu público-alvo em ações de marketing e relacionamento.

Outro uso interessante desta tecnologia é na capacitação de funcionários, parceiros de negócios e até clientes (cursos, workshosps, webinars ao vivo, etc.). Também é possível realizar vendas à distância, em videoconferências com clientes. Enfim, as possibilidades são inúmeras.

E isso tudo pode ser feito por meio de serviços populares como a twiticam, do Twitter, ou os Hangouts do Google (nos casos de comunicação interna, especialmente) e também por meio de sistemas que podem ser desenvolvidos pela própria empresa ou adquiridos de fornecedores especializados.

A tecnologia streaming também possibilitou o surgimento de negócios inovadores como o Netflix, que oferece filmes e séries on-demand para milhares de consumidores ao redor do mundo. A empresa cobra uma mensalidade de seus clientes que podem assistir aos conteúdos em qualquer hora e por meio de qualquer dispositivo (desktop, tablet, smartphone, televisores smart etc.).

No Brasil, um serviço parecido com o do Netflix está sendo oferecido pela TV Globo, é o Globo Play, onde a emissora disponibiliza em tempo real o que está transmitindo na TV aberta, além dos arquivos de todo seu conteúdo para seus assinantes e também já começou a oferecer programação exclusiva.

4 sugestões de uso da tecnologia streaming para o seu negócio

Agora que você já sabe O que é streaming e já conseguiu visualizar suas aplicações com alguns exemplos que já fazem parte do dia a dia de milhares de pessoas ao redor do mundo, veja algumas sugestões de utilização na sua empresa:

1. Compartilhe eventos ao vivo

Os eventos que sua empresa realiza, tais como conferências, participações em feiras, palestras etc. podem ser ampliados para uma audiência muito maior. Por meio da tecnologia streaming, é possível transmitir ao vivo para o público-alvo, de forma aberta ou controlando quem pode assistir – basta criar uma chave de acesso ao hotsite do evento, por exemplo.

Assim, você pode fazer com que o propósito do evento chegue até as pessoas que não podem comparecer nele, ao mesmo tempo em que dá interatividade aos seus clientes e fortalece a imagem da marca.

2. Promova cursos para sua equipe ou para seus clientes

Uma empresa que tem várias filiais, geralmente investe muito dinheiro deslocando seus colaboradores para um evento de capacitação. Da mesma forma, empresas que oferecem serviços e produtos que necessitam de treinamento (empresas desenvolvedoras de softwares, por exemplo), têm altos investimentos.

Que tal montar um curso e transmiti-lo ao vivo para o público-alvo? Isso diminui consideravelmente o custo e amplia o alcance.

3. Faça vendas para clientes que estão distantes do seu escritório

Vamos pegar o exemplo de uma empresa desenvolvedora de software para gestão empresarial para ilustrar este tópico. O processo de venda deste tipo de produto, geralmente requer demonstrações técnicas.

Que tal fazer esta apresentação de forma remota, do conforto do seu escritório para todas as pessoas interessadas (o gestor da empresa cliente, a equipe de TI e alguns usuários)?

Imagine como os custos de aquisição de clientes podem ser diminuídos quando há a possibilidade de fazer parte ou a totalidade da venda via videoconferência!

4. Promova ações de marketing digital

Como sabemos, as empresas devem, cada vez mais, investir em conteúdo de qualidade para se posicionar nos mecanismos de busca e atrair seu público-alvo para seus canais digitais (site, blog, redes sociais, loja virtual etc.) e, assim, identificar e se relacionar com leads e transformá-los em clientes.

Assim, outro uso muito interessante da tecnologia streaming é incluí-la na estratégia de marketing digital. É possível, por exemplo, fazer webinars de apresentação de produtos e serviços e receber os feedbacks do público, sanar dúvidas etc. Também é possível realizar podcasts (áudio) e entrevistas em vídeo ao vivo com clientes, especialistas etc.

Leia também: 5 tabus da transmissão on-line.

Em suma, utilizar a tecnologia streaming para fazer transmissões ao vivo pode ser útil tanto para dar uma imagem inovadora à marca, quanto para potencializar a comunicação entre os colaboradores e com o mercado. Sua empresa também pode usar as transmissões ao vivo como infoprodutos, oferecendo treinamentos e diversos tipos de conteúdos para clientes em forma de assinatura.

Sua empresa já utiliza a tecnologia streaming? Você gostou destas dicas? Deixe um comentário!

6 alternativas para uma comunicação interna eficiente

6 alternativas comunicação interna

A comunicação interna é um canal presente em todos os níveis e setores da empresa, que independe da vontade ou planejamento de gestores. Sua relevância é tão grande que ela pode interferir positiva ou negativamente no clima organizacional, na cultura e na qualidade do ambiente de trabalho, entre outros aspectos.

Reconhecer e trabalhar os canais de comunicação pode trazer inúmeros benefícios à sua empresa. O ideal é trabalhar em busca da redução de ruídos, distorções e dúvidas, desenvolvendo a comunicação com o objetivo de fortalecer o relacionamento com o público interno. Além de ser abordada de forma clara e efetiva, ela deve alcançar todos os colaboradores, aproximando as pessoas dos processos em andamento.

Todavia, executar um plano de comunicação pode se tornar custoso e ineficiente, em especial, quando são utilizados métodos lentos, que desencadeiem o atraso das informações. Para que isso não aconteça, é possível usar ferramentas alternativas para comunicar e integrar com o público interno. Confira!

Mural

Embora seja um método bastante antigo, o mural ou quadro de mensagens, ainda é uma forma de notificar os funcionários. Ele não possui um custo alto de operação mas é suscetível a erros de gramática que gerariam a necessidade de novas impressões, mão de obra para fazer a troca manualmente e também perde destaque por não ser interativo.

Dispositivos Móveis

Aposte na mobilidade como um fator de agilidade no seu processo comunicativo. Permita que o colaborador tenha acesso à informação de onde ele estiver. Para isso, o uso do de e-mail marketing ou aplicativos é uma excelente alternativa, ambos disponíveis em diversas plataformas, de forma que o colaborador possa acessar do celular, tablet ou telas distribuídas no ambiente.

E-mail marketing

O tradicional e-mail tem seu destaque no ambiente organizacional. Que tal utilizar este meio de comunicação para divulgar newsletters com informações sobre os acontecimentos da empresa? Além de ser eficaz, a facilidade de ter o conteúdo em seu e-mail faz com que os colaboradores possam acessar a informação sempre que ficarem com alguma dúvida.

TV ou mural digital

Uma boa opção para a modernização dos métodos é o mural digital ou uma TV corporativa. As informações que alimentarão o veículo são as mesmas que seriam utilizadas no mural tradicional, porém, com mais agilidade, facilidade de acesso e um design bem mais atrativo.

Apesar de, inicialmente, parecer mais custoso para a empresa, a solução torna-se bem mais cativante quando analisada através da perspectiva de comodidade em relação a atualização das informações, possíveis correções, redução do uso de materiais impressos etc. Além disso, este meio oferece uma grande vantagem: a possibilidade de usar vídeos para facilitar a comunicação.

Menu Board

O Menu Board é ideal para os estabelecimentos que buscam uma comunicação modernizada e altamente eficaz. A solução consiste na união de painéis estáticos espalhados pelo ambiente a fim de divulgar informações do produto, como preços, promoções, características. A atualização das informações pode acontecer de forma rápida e flexível, a atratividade do painel está concentrada na possibilidade de personalização e dinamismo das telas.

Webinar na comunicação interna

Outra possibilidade bastante eficiente na hora de investir em comunicação são os webinars. Trata-se de uma gama de eventos on-line, contando com transmissão ao vivo, para a divulgação de marketing de conteúdo. O objetivo é disseminar informações, engajar o público e fidelizar através da conquista dos clientes internos. É um ambiente interativo, prático, que trabalha em tempo real, reduzindo os custos de deslocamento.

Para além dessas possibilidades, ainda existe uma série de outras opções, como palestras, revistas de circulação interna ou jornais empresariais e vídeos disponibilizados na intranet.

Conte-nos como você otimiza os recursos disponíveis para tornar a comunicação interna da sua empresa mais eficaz. Deixe o seu comentário e participe!

Qual a importância da identidade visual para seu negócio?

quala

Manter seus produtos em estoque, encontrar bons pontos de venda e consolidar no mercado uma imagem firme depende bastante de como sua empresa encara o desafio de criar uma boa identidade visual.

Essencial para identificar seu negócio, diferenciá-lo de seus principais concorrentes e destacar suas principais vantagens a criação de uma identidade visual é etapa fundamental no sucesso do seu empreendimento. Neste artigo será possível entender melhor o que faz parte de um projeto de branding e quais são seus elementos mais comuns:

O que é identidade visual?

Identidade visual diz respeito ao conjunto de elementos capazes de representar o que sua empresa é, visualmente. Esses elementos podem ser múltiplos, passando necessariamente por um logotipo, um símbolo e um conjunto de cores que tem a cara do seu negócio, ao qual damos o nome de paleta. São eles que vão garantir a identificação do seu empreendimento independentemente do contexto em que sua marca aparece e garantir que o público consiga se conectar com aquilo que sua companhia vende.

Ter uma boa identidade visual é fundamental para atestar àqueles clientes que ainda não conhecem seu produto ou serviço suas qualidades. Entregar uma comunicação institucional dinâmica é indicativo também do profissionalismo com que seu negócio é conduzido.

Criar produtos de comunicação consistentes, que identificam o significado intrínseco daquilo que sua empresa vende e não somente o seu valor de mercado vai ser muito importante na hora de conquistar novos clientes e fidelizar os antigos. Sua marca será uma representação de tudo que importa para a sua empresa e deve, além de identificá-la na multidão, estabelecer uma relação de empatia e confiança com seu público-alvo.

Adequada ao seu negócio

Para criar uma identidade visual verdadeiramente significativa, além de providenciar as principais peças relativas à comunicação externa e interna, será preciso que se estabeleça uma relação com os consumidores.

Compreender suas expectativas com relação à mensagem transmitida pelo seu empreendimento é tão relevante quanto providenciar para que essa comunicação seja entregue com uniformidade.

Durante a criação de uma identidade visual, a equipe responsável não desenvolverá apenas soluções impressas e digitais com a cara do seu negócio. Cartões de visita, papéis timbrados e envelopes são apenas uma parte da mensagem que sua empresa quer passar.

Trabalhar com a criação de identidades pressupõe que essa equipe estudará seu negócio ao máximo para entender de ponta a ponta como ele funciona, para quem se dirige e como deve se comunicar com essas pessoas. É isso que vai garantir o cumprimento de objetivos específicos, como aumentar vendas ou fidelizar um novo público.

Homogeneidade é o segredo da comunicação bem-feita

Branding é padronizar como a sua empresa se relaciona com o mundo, estabelecendo unidade para a comunicação em todos os detalhes. Seu logo deve obedecer a rígidos padrões de uso quando for aplicado em novos materiais e um bom trabalho de identidade visual vai garantir que ele não fuja da proposta.

Esses padrões entre cores, formatos e tipografias que compõem o espectro visual da sua marca são o que garante que ela será reconhecida, independentemente do contexto de aplicação. Mais do que isso, esses signos visuais devem representar valores intangíveis que são significativos para seu negócio.

Transparência, confiança e durabilidade, por exemplo, são conceitos que não trazem mentalmente uma única associação e podem ser transmitidos por meio da forma como sua empresa se posiciona em termos de comunicação. Os elementos que compõem uma identidade visual devem ser uniformes, pois são eles que conferem coesão à mensagem que seu empreendimento quer passar.

Construir uma identidade visual significativa é trabalhar no estabelecimento de valor por meio da comunicação, fazendo com que sua empresa seja mais que os serviços que oferece.

Sua marca está pronta para se tornar parte do dia a dia de seus consumidores? Não deixe de comentar esse post com a sua opinião!

5 maneiras de usar o streaming no seu negócio

streaming

O streaming possibilita a transmissão instantânea e o acompanhamento ao vivo de dados de vídeo e áudio em rede, sem a necessidade da realização de downloads de conteúdo. Para fazer uso dessa tecnologia, além de uma boa conexão com a internet, é necessário um servidor de streaming, um software ou aplicativo especializado e equipamentos como microfones e fones, computadores, smartphones e tablets.

A tecnologia streaming já existe desde o início dos anos 1990, mas vem ganhando força nos últimos anos à medida que a capacidade de banda vem sendo ampliada em todo o mundo. Trazendo uma série de benefícios para usuários comuns e também para as empresas, você também pode utilizá-la no seu negócio. Para saber de quais formas, confira nosso post de hoje!

Potencialize sua comunicação interna com o Streaming

Reuniões entre departamentos e filiais, comunicação com vendedores que estão em campo… Uma série de processos comunicacionais internos podem ser feitos por meio de videoconferência, utilizando ferramentas como o Google Hangouts ou aplicativos como o Periscope, além de softwares que a própria empresa pode desenvolver ou adquirir para essa finalidade.

As maiores vantagens de usar o streaming na comunicação interna são mais mobilidade para as equipes, diminuição dos custos com telefonia celular e melhor colaboratividade por meio de demonstrações do andamento de projetos, entre outras.

Promova treinamentos para colaboradores, parceiros e clientes

Se você está lançando um novo produto e ele exige que seus clientes, colaboradores ou parceiros de negócios (fornecedores, revendedores etc.) sejam treinados, sabe o quanto isso pode ser caro e trabalhoso. Que tal fazer esses treinamentos online e ao vivo? Assim, ao passo que diminui os gastos, você ainda pode esclarecer dúvidas em tempo hábil e diminuir o tempo entre a capacitação e o início das vendas.

Os recursos da tecnologia streaming podem ser utilizados para vários tipos de treinamentos, desde que sejam bem planejados e executados.

Recrute colaboradores sem precisar trazê-los até a empresa

O RH também pode se beneficiar do streaming — boa parte do processo de seleção de candidatos, por exemplo, pode ser feita via aplicações de videoconferência. Assim, apenas os candidatos pré selecionados na primeira triagem serão chamados para entrevistas pessoais com gestores, o que diminui custos e otimiza o tempo de todos os envolvidos.

Faça vendas para clientes que estão distantes

Com a tecnologia streaming, os limites do escritório são quebrados. Não é necessário trazer o cliente até a empresa ou se deslocar até onde ele está para fazer uma apresentação comercial e fechar um negócio. Você pode marcar uma reunião virtual com seus prospects e estreitar o relacionamento por meio da transmissão e do recebimento das imagens em tempo real.

Os benefícios incluem ganho de tempo — que está cada vez mais escasso no seu cotidiano e no do cliente —, redução de custos com deslocamentos e encurtamento do funil de venda. Além disso, há um ganho de imagem, pois o cliente passa a ver sua empresa como inovadora, como um negócio que utiliza a tecnologia para vencer desafios e prestar o melhor atendimento.

Eleve a reputação da sua marca com ações de marketing

Cada vez mais, as empresas estão entendendo o poder do ambiente digital para alcançar seu público-alvo e potencializar seu ganho de mercado. Com a tecnologia streaming, é possível criar eventos online — webinars, por exemplo — ou transmitir os eventos em que a empresa é patrocinadora ou promotora e, assim, levar conhecimento e conteúdo útil para seus clientes, prospects e formadores de opinião.

Com isso, você amplia o alcance dos seus eventos a um número muito maior de pessoas, além de demonstrar o quanto a marca é inovadora e como se beneficia da comunicação na web. O ideal é que as pessoas façam um cadastro rápido para obter acesso à transmissão, para que você tenha dados de contato para nutrir leads (se relacionar com seu público).

Também é importante que seus eventos online sejam interativos, ou seja, que as pessoas possam participar enviando comentários e perguntas e compartilhando nas redes sociais, por exemplo.

Viu como o streaming pode ser usado de diversas maneiras? Ele chegou para ficar e trará muitos benefícios ao seu negócio! Tem outras dúvidas ou sugestões sobre o assunto? Deixe seu comentário e entre para a conversa!

Comunicação horizontal ou vertical? Qual a melhor opção para sua empresa?

comunicao horizontal ou vertical

Ter uma estrutura administrativa bem estruturada é fundamental para o desempenho organizacional. Viver sem comunicação seria possível? Ficar sem falar ou ouvir o outro?

São situações impossíveis para que se consiga conviver em sociedade ou para criar algo que vá adiante. É através desse canal que todos se relacionam e se guiam, independentemente do tamanho ou segmento de uma organização.

O que é a comunicação?

Comunicação: ação de transmitir uma mensagem e receber outra como resposta. Um campo de conhecimento que estuda os processos de relacionamento humano. O que dá vida ao andamento do planejamento de uma empresa.

Para se iniciar o processo de como trabalhar à comunicação, que nada mais é, do que o fluxo de informações, traça-se um plano, desenhando o perfil da empresa, para se manter em sintonia de modo organizado, bastante claro, estabelecendo formas de administração e chegar a um consenso para decidir qual a melhor opção a ser seguida pela sua empresa.

Vejamos:

A comunicação vertical

Tem que haver uma hierarquia. Os líderes não são líderes por acaso, sua participação é essencial para emitir as informações necessárias aos seus liderados, de maneira natural e simplificada, evitando ruídos desnecessários.

Organograma vertical é o mais utilizado nas organizações, representado por uma pirâmide, para apresentar a estrutura hierárquica da companhia: no topo o presidente, na sequência os diretores, gerentes, e assim por diante.

Essa comunicação é feita entre pessoas de níveis hierárquicos diferenciados e o fluxo pode se dar de duas formas :

Ascendente

Enviar planilhas de resultados aos superiores referentes a uma área ou projeto, sugestões, críticas, relatórios de pesquisas, decisões.

Desvantagens da comunicação vertical ascendente: não é nada objetivo, muitas vezes não há veracidade das informações relatadas entregues aos líderes.

Descendente

Quando se inicia pela mesa diretiva, no topo, seguindo no sentido da base hierárquica. Essa comunicação se dá através de informações, comunicações e orientações sobre regras e regulamentos da empresa.

Desvantagens da comunicação vertical descendente: não há predominância na participação dos subordinados.

Comunicação horizontal

Entendendo-se que o organograma horizontal possui semelhanças com o organograma vertical, diferenciando na distribuição dos cargos, ao invés de um sobre o outro, são laterais, isso é lado a lado. O propósito é a diminuição do “choque” que a informação vertical possa causar. Deixando ao colaborador com a sensação de que sua função é tão importante quanto qualquer outra dentro da empresa.

Comunicação horizontal: abrem-se portas às ideias, inovações, conversas para o bem estar das equipes, melhorias e relacionamentos interpessoais, envolvendo diferentes  departamentos com membros diversificados. Seria um tipo de comunicação lateral, que se pode chamar de informal, a qual não são especificadas os níveis de equipes que poderão participar.

Desvantagens da comunicação horizontal: com o crescimento da organização pode haver menor aproximação entre os departamentos.

Agora que você já conheceu um pouco mais os conceitos sobre comunicação horizontal e comunicação vertical, com suas vantagens e desvantagens, poderá  compartilhar esse artigo com seus colegas de trabalho, para chegar no melhor tipo de comunicação para sua empresa. Importante lembrar que todas as maneiras possuem vantagens e desvantagens, e que a escolha dependerá das necessidades de cada organização. 

Aproveite também para deixar outras sugestões nos comentários e continue acompanhando nosso blog, sempre com novidades sobre o mundo corporativo!

7 problemas de comunicação interna que sua empresa precisa evitar

7PROBLEMS

16% das empresas não possuem um canal oficial de comunicação interna. Você não quer ter problemas na empresa? Então leia esse artigo!

Quando falamos de comunicação interna queremos dizer um canal no qual colaboradores e empresa possam trocar informações, de uma maneira oficial. Porém, muitas empresas sofrem por problemas de comunicação interna, o que pode atrapalhar as atividades dela como um todo.

Esse tema é tão importante que a Abracom (Associação Brasileira das Agências de Comunicação) elaborou cadernos para que as empresas entendam a sua importância. Porém, mesmo assim, ainda vemos muito erros sendo cometidos nesse campo.

Um dos maiores problemas da comunicação interna é não existir um canal oficial porque as informações podem ficar confusas e distorcidas, fazendo com que o objetivo a atingir fique muito mais difícil. Podem também começar os problemas de relacionamentos, com muitas “rádios peões”, causando fofocas e desestruturando as equipes de trabalho.

Os diferentes perfis de funcionários e forma de trabalho das equipes também podem dificultar a disseminação de informação porque é preciso adequar uma linguagem para que todos entendam. Esse fator é ainda mais preocupante quando não se tem uma cultura organizacional voltada a uma comunicação padronizada.

Quais problemas a falha de comunicação pode causar?

De uma forma geral, as falhas de comunicação interna acarretam diversos problemas, como:

  1. Criam-se informações falsas em cima de suposições, uma vez que não se tem como as confirmar.
  2. Cada equipe acaba utilizando o seu canal de comunicação, o que dificulta a padronização e causa ruídos.
  3. Ocorrem problemas de convivência devido as informações que surgem.
  4. O uso de linguagens inadequadas ao público pode fazer com que a mensagem não seja compreendida.
  5. Há dificuldade de implantar uma cultura organizacional, pois cada equipe quer trabalhar de uma forma, já que não existe uma orientação oficial.
  6. As informações podem não chegar a tempo onde precisam.
  7. Existe desconfiança sobre as informações passadas pelos gestores.

Como trabalhar com os problemas de comunicação interna

Não existe uma fórmula mágica para resolver os problemas de comunicação interna, porém deve-se pensar que os métodos mais usuais, como mural e jornal, possam estar ultrapassados e não despertam mais interesse e, por isso, não são eficientes. Esse processo precisa ser mais eficiente e, sobretudo, mais rápido, uma vez que as informações mudam com grande rapidez.

Uma das alternativas que muitas empresas têm encontrado é investir em plataformas digitais, tornando-as um canal oficial de comunicação, que é bastante atrativo e que também permite a interação entre os funcionários. Mas de nada vale esse investimento se ela não for utilizada e não estiver adequada com quem a utiliza.

É preciso que essa ferramenta de comunicação possa ser manuseada com facilidade, permitindo que todos os colaboradores a usem. Acima de tudo, os gestores devem comprar essa ideia e conseguirem passar a importância para sua equipe.

Cabe a área de comunicação monitorar essa ferramenta e fazer as adequações necessárias para que ela possa se aperfeiçoar e assim atingir o objetivo esperado. Por isso, repense na sua estratégia de comunicação interna e traga benefícios para a empresa como um todo.

E você, como tem trabalhado os problemas de comunicação interna em sua empresa? Deixe seu comentário!